30 dezembro 2015

2015: 7 coisas boas, 7 coisas ruins, 1 lição

Nessa semana que passou, a Bru me marcou em uma tag bem legal de se fazer no final do ano (inclusive incentivo a todos a fazerem também), que é a 15 coisas legais que aconteceram em 2015.
Porém, eu decidi dar uma mexida no conceito pra se adaptar a minha vida pessoal, e dividi esse número pela metade (quase) pra tomar outra direção. Depois de pensar bastante se deveria ou não.

Pra quê ficar relembrando as coisas ruins? Supera, que tal?

Quem conhece a ruiva que vos fala, deve entender que ela melhor que ninguém sabe, que não é bem assim. Prometo que, no final do post, vou deixar bem claro o motivo dessa tag modificada dessa forma.

Ah! Não vou colocar nada em perfeita ordem cronológica, ok?
Vamo que vamo!
  • Nicole e mika viraram estrelinhas
Primeiro, foi a Mika. Uma hamster de cores clarinhas que fazia minha alegria todos os dias quando acordava estupidamente cedo pra ir pro trabalho, e quando voltava cansada depois de horas de trânsito no final da tarde. Gostava de correr pela extensão dos meus braços e comer frutinhas. Ela faleceu de velhice + uma inflamação no queixinho (que segundo a vet, surgiu por conta da velhice mesmo), e no final da tarde me vi assinando uma autorização de eutanásia pra que ela parasse de sofrer. A Nicole faleceu exatamente uma semana depois. Minha poodle que já me acompanhava faziam quase 11 anos, amor do meu viver. Infelizmente foi afligida por câncer no fígado e síndrome de coração expandido e também sofreu um pouco ao deixar a gente. Isso foi em Janeiro. Mas até hoje dói lembrar e falar sobre, acho que sempre vai doer. Mas me orgulho em dizer que não saí de perto dela em momento nenhum e que meu rosto inchado e vermelho foi a última coisa que ela viu antes de ir.
  • Adotei o Lito
Me afundei um pouco mais na depressão com a ausência de dois pets amados de uma só vez. Chegou a um ponto em que chorava TODOS os dias, com alguns ataques de pânico e vice-versa. Até que chegou a mim um caso que normalmente jamais consideraria; um gatinho de 5 meses. Na realidade ia apenas dar carona pra ele pro seu lar temporário, mas no caminho rolou alguma coisa que não sei se foi carência, se foi um grito de desespero do inconsciente, ou se foi amor a primeira vista mesmo. Mas fiquei com ele pra mim. Hoje em dia não consigo mais me ver sem Lito, que provou pra mim e pra toda minha família descrente que gatos são sim carinhosos e Lito em especial demonstra isso o tempo todo, haha <3

  • Vó diagnosticada com alzheimer
Já há alguns meses eu notava que algo diferente tava rolando com a minha avó, a quem eu conheço bem demais pois foi quem me criou e é com quem eu moro até hoje. O diagnóstico veio em Janeiro, mas algo em mim já confirmava esse mal fazia tempo. Nunca parei realmente pra prestar atenção ("é só a velhice, é normal" era o que eu me dizia) até sair do meu emprego e voltar a passar o dia todo em casa, quando pude perceber a mudança de hábitos dela. A convivência ficou extremamente complicada e me afundou um pouquinho mais na depressão, porque no início eu cuidava dela sozinha (atualmente tem minha mãe e meus tios aqui :') então it got better) e como sabemos a doença não tem cura e a piora é gradativa porém veloz. É também o motivo de eu não ter mais pego nenhum outro emprego fora de casa.
  • Tomei coragem e fiz o BC
Cheguei numa fase em que apesar da ansiedade e aversão a mudanças, do jeito que tava não queria mais ficar. Como a depressão não me deixava emagrecer de forma saudável (uma semana de academia era meu limite), optei por outra forma de mudança que acabou sendo uma das melhores decisões do ano; fazer o temido BC (big cut = ou, cortar toda a parte com química do cabelo pra voltar aos cachos naturais). O resultado é o que vocês vêem sempre por aqui. Uma Suele mais leve e saltitante sem medo de bagunçar a moita. <3
  • Desligada do emprego
Isso foi bem no início do ano, e foi o que me fez realmente me ligar e acreditar no que todo mundo vinha dizendo; a crise pegou o Brasil de jeito! Pois a alta do dólar na época fez não só eu, como meu setor inteiro (incluindo meus superiores) e mais uma parte de outro setor maior serem desligados da empresa. O mesmo aconteceu em vários outros lugares do distrito industrial onde eu trabalhava já há dois anos. Foi bem triste, pois era algo que eu gostava de fazer (ilustrar pra conteúdos didáticos infantis) e com toda a situação em casa não deu pra pegar outras oportunidades que surgiram em seguida, e foi quando eu realmente botei quente nos freelas de ilustração que chegavam a mim pelo blog, como faço até hoje.
  • Viajei mais em um ano que na vida inteira! (E conheci muita gente no caminho)
Isso é um fato curioso, porque como assim sai do emprego e começa a viajar? HAHA Não contavam com a minha astúcia! Pois durante o período trabalhado eu e Olhos Verdes mantínhamos uma poupança pra ir pra Disney esse final de ano. A Disney não rolou porque o dólar ficou absurdo demais com o tempo, e ao invés disso visitamos São Paulo duas vezes, Rio Grande do Sul (nesse eu fui sozinha), Curitiba e Rio de Janeiro. <3 Valeu a pena? Demais! Pois pude conhecer pessoalmente um bocado de gente linda que já queria conhecer fazia tempo!
  • Hate e mais hate na internet
Ah! O ódio gratuito da internet. A forma que a nossa geração, que porventura tem acesso fácil a internet, encontrou de extravasar os sentimentos mais infantis e primitivos sem olhar a quem ele afete ou como afete. No meu caso, como alguns dos que estão lendo devem se lembrar, na época em que ganhei o concurso da Bruna (<3), todas minhas redes sociais foram inundadas com mensagens de ódio mal direcionadas; ficaram bravos por eu ter vencido, mas criticaram mais meu cabelo/meu peso/minha aparência num geral, do que de fato questionar o porquê de eu ter vencido. Até hoje fico assustada e só consigo imaginar o que as vítimas recorrentes de cyberbullying devem passar. Dica pra 2016: sejem menas, bem menas.
  • Fui pra Inglaterra com o Olhos Verdes e conheci a Bruna.
Sem dúvida um dos pontos altos do ano. Sejamos sinceros aqui eu e você, nunca imaginei que conseguiria viajar pra fora do país sem anos de preparo financeiro (como tava sendo a viagem pra Disney que no final nem rolou), e quando rolou o concurso do Depois dos Quinze eu nem mesmo botei fé que teria chance de ganhar. Até hoje na verdade parece que foi um sonho. Mas não foi e to cheia de foto pra provar. Haha! PS: Me apaixonei por Brighton. Obrigada Kipling, obrigada Bru. <3

  • Três gatinhos recém-nascidos abandonados numa caixa
Poucos meses atrás tive mais uma provação diária em lidar com o fato de que sou da mesma raça que outros seres humanos, que não se incomodam em cometer das mais diversas atrocidades. A da vez, foi descobrir pela minha tia que tava passeando com o cachorro durante uma das horas mais quentes do dia, que alguém havia largado uma caixa com três gatinhos de no máximo uma semana de vida na rua de cima. O vizinho disse que eles haviam sido abandonados na noite anterior, em um saco plástico amarrado. O vizinho então os colocou numa caixa pra respirarem. Não sei ainda o que pensar disso, mas enfim. Não vi outra opção que não correr até onde eles estavam pra ajudar de alguma forma.
  • Adotei três gatinhos recém-nascidos
Eis que o "ajudar de alguma forma" foi de uma dolorosa ida ao veterinário assim que os encontrei pra mais de um mês fazendo o papel de uma mãe-gata, o que envolvia alimentação por mamadeira de 3 em 3 horas e higienização da mesma forma. Foi extremamente cansativo, por várias vezes me desesperei achando que algum não iria sobreviver por terem chegado a mim tão novinhos e debilitados. Mas todas as noites sem dormir valeram 100% a pena porque hoje dou teto comida e amor pra 4 gatinhos, que preencheram mais um pouquinho o vazio que ainda ta aqui desde a perda da Nicole e da Mika. Comprovei também que animais de estimação fazem maravilhas por alguém com depressão, viu? <3
  • Depressão
Falando na bendita. Contei pela primeira vez aqui no blog sobre ela no post do concurso da Petite Jolie, onde devíamos falar sobre otimismo e eu o fiz da minha maneira, ou da única maneira que sabia, que era o esforço diário de se manter otimista mesmo possuindo depressão. Os comentários naquele post até hoje me fazem chorar muito, de tão íntimos e sinceros que foram. Um dos melhores, senão o melhor post do blog, com certeza. Porém, longe de mim tentar glamourizar uma condição tão séria e que afeta tanta gente (mais gente do que vocês imaginam, inclusive), por isso repito o que disse no post; você não está sozinho. Quando te dizem pra simplesmente "tentar e melhorar", é ofensivo sim e machuca sim. Não é algo que se queira ter, não é algo fácil de ter. Por isso, vamos procurar tratar todo mundo com humanidade (ou seja, sem ódio gratuito), porque ninguém tem como saber pelo que cada pessoa passa em segredo, e uma atitude babaca sua pode fazer um estrago muito maior do que sua consciência aguenta. #maisamor
  • Fui pra semi-final da We Love Fashion Blogs
Ter mais essa conquista no mesmo ano foi algo surreal (e viajei de novo! Haha <3). O carinho e atenção aos mínimos detalhes que a Petite Jolie proporcionou ás dez semi-finalistas do concurso foi apenas incrível! Inesquecível mesmo. Mas o mais marcante mesmo foi ter conhecido pessoalmente tanta gente maravilhosa, o que só prova que as experiências pessoais passam maravilhosamente das materiais. Sou eternamente grata e recebi um gás incrível pra continuar com o blog por esse reconhecimento. <3

  • Debilitada durante todo o aniversário
Ô perrengue que foi esse Dezembro, viu? Em termos de viagens foi maravilhoso, mas de saúde... Serviu de "wake up call" pra me lembrar que sim suele, tu ainda tem gastrite! comi muito mal durante a viagem e adoeci do estômago, depois gripei, depois juntou tudo numa massa doente que até me impediu de embarcar no vôo de volta pra Manaus, voltando de Curitiba. Passei o dia todo indo e voltando do ambulatório do aeroporto, com pessoas me olhando com cara de "segura essa menina que ela vai desmaiar", e tuuuudo rolou bem no dia 17, diazinho em que completei 25 anos de vida. Não tava fácil. Passei o dia doente e deprimida ao extremo por isso. :( Eu só queria chegar em casa...
  • Aniversário surpresa nas últimas horas do dia
Eis que chego em Manaus as 22:00 mais ou menos (se fosse no primeiro vôo previsto, tinha chegado aqui ás 13:00 :( perdi o dia todo no aeroporto mesmo.) e um amigo nosso vai nos buscar no aeroporto pois pelo horário os tios do Olhos Verdes já não podiam mais. Ou era o que me fizeram acreditar. Na real, cheguei na casa do Olhos Verdes (com a desculpa de que antes de me deixar em casa, esse nosso amigo queria ver o novo Batman do Hélio), e BUM na varanda do nada quase todos meus amigos escondidos na surdina equipados de um banquete italiano (que eu não comi porque tava doente. Mas ok). Tudo bem, passei o resto da noite dopada de remédios e nem consegui reagir direito á surpresa porque tava tudo meio embaçado. Mas te contar. Pra quem tava tendo um dos piores dias do ano, o pulo que ele deu de uma hora pra outra como sendo um dos melhores, foi absurdo. Sim, mesmo com a aniversariante meio dopada que perdeu a festa toda, ainda sei que os amigos se divertiram e isso que importa pra mim. <3

Bom. É isso. Esse foi meu 2015 em perspectiva.

O décimo quinto item, é a lição que quero deixar com vocês, tirada de tudo isso que aconteceu, e o motivo de eu ter preferido alterar a tag dessa forma.

Todos temos altos e baixos.  Nem todos demonstram. Alguns querem muito falar, gritar pros sete ventos, pedir ajuda, mas por medo de incomodar acabam guardando pra si mesmos. Alguns se dão bem dessa forma. Outros não.
Não é algo só de 2015, todo ano é a mesma coisa. Acaba logo ano, to em 2015 desde 2010, olho pra 2015 e só quero agradecer que acabou. E vice-versa. E se tem alguma coisa que aprendi esse ano com tantos trancos e barrancos, é que não é porque coisas ruins aconteceram, que coisas boas não vão acontecer também. Felicidade não é exclusividade de quem é feliz o tempo todo. Ninguém é feliz o tempo todo. Então não se sinta mal se você não teve um 2015 perfeitinho. Não tem problema.

Por isso, valeu lembrar a mim mesma nesse post, que esse ano teve alguns momentos obscuros mas mais importante ainda é lembrar que apesar disso, ele não deixou de ser especial por tantos momentos bons. E que no final, fizeram valer a pena.
Dito isso também quero convidar a Karlybeth, a Gabriela, a Luana, a Gabi, a Mayana, a Chay e a Mônica pra fazer essa tag. Não precisa ser a minha alterada se não quiser, pode ser a 15 coisas boas hahaha <3

Então nada de grosseria ou hostilidade com 2015. Tenho certeza que ele fez o melhor que pôde. Vou apenas dar um tchau camarada, um aperto de mão cortez, agradecer pelas coisas boas, e pelas lições tiradas das coisas ruins.

Agora sim, pode vir 2016.

11 comentários:

  1. Su, meu amor! Vale chorar? Porque estou chorando aos montes!
    Eu também tenho três gatinhas e duas cachorras que são minha vida, sério!
    A última gatinha apareceu no fim de junho aqui em casa, me alegrando muito, porque se tornou a mais apegada comigo!
    Eu me lembro de ter lido e ouvido mensagens de ódio sobre você naquela época e aquilo me chocou bastante, afinal você é uma pessoa e tanto (discuti com tanta gente maldosa por causa disso hahaha)...
    Tenho que admitir que sempre vi algo de especial em ti Su e agora sei o que é... Me vi em várias partes dessa tag!
    É difícil ter depressão, mas o pior é ouvir as pessoas falando coisas como se a depressão fosse algo que você quisesse ter, porém na real, só quem já teve sabe o quanto ela dói e vai te destruindo aos poucos!
    Quero que saiba Su, que pode contar comigo nesse ano que começa, mesmo comigo em Sampa e você em Manaus, quero te ajudar no que precisar, porque essa dor eu conheço bem demais! Saiba que eu confio em você, que acredito no fundo do meu coração que você consegue passar pela depressão e por todos os problemas!
    Te amo Su! Que 2016 te traga só coisas boas e muita alegria! ������

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não chora Majú <3 floquinho power
      Feliz 2016 cheio de bençãos pra você! <3

      Excluir
  2. Aí super amei oq vc fez com essa tag. E adorei o fato de n ter jeito pé o Disney mas viajaram pelo país. E da cumplicidade sua e dos olhos verdes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não tem cão, caça com gato né? Hahaha viajar pelo país acabou sendo mega divertido e produtivo também <3
      o Olhos verdes agradeceu teu comentário também! haha
      Beijo Anninha <3 feliz ano novo!

      Excluir
  3. Amei Sueleee! Amo o Rosto de Neve, é muito sincero e amo quando vc compartilha as coisas com a gente.
    Estaremos sempre aqui!
    Que 2016 seja maravilhoso, sou sua fã!
    Beijão
    www.diariodasofia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sofia <3 <3 <3 <3 e eu to sempre aqui pra vocês também! Mesmo tendo tomado chá de sumiço esses tempos :'( sorry
      Um 2016 maravilhoso pra você lindona <3
      Beijosmiiil

      Excluir
  4. Tia Suh sua lindaaa <3 Te acompanho pelas redes sociais, e lembro do concurso da Kipling, gente eu já conhecia aqui o rosto de neve e fiquei extremamente feliz por você ter ganho! Suas ilustras são maravilhosas mulher! Acredito que esse ano tenha sido muito bom pra você, mas também existem os altos e baixos que sempre irão existir. Espero que neste 2016 as coisas sejam ainda melhores para você do que foi esse 2015, tudo de bom sempre pra você e sim, sou sua fã tia Suh <3
    Beijos,
    versos-de-inverno.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tauani <3 obrigada lindinha! Que esse ano seja maravilhoso pra você também, pra todos nós! <3
      conte sempre comigo! bjs <3

      Excluir
  5. Suuuuuuu sua linda!
    Que ano e tanto, hein? Nossa e que alegria a nossa em ver que a gente pode fazer parte desse ano tão lindo. Temos absoluta certeza de que 2016 vai ser ainda mais, pq você é merecedora de um ano maravilhoso.
    Ficamos HIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIPER felizes de te conhecer e de ver de perto toda a sua competência, alegria e, principalmente, a sua energia.
    Obrigada, obrigada e obrigada por ter participado do We Love.
    Feliz ano novo para você!

    Beijos de toda a nossa equipe <3

    ResponderExcluir
  6. Nossa, posso dizer que este post foi muito íntimo e maravilhoso? Continue assim, entendendo o mundo da sua maneira e seguindo em frente sempre. Um dia de cada vez :)

    ResponderExcluir

Respondo todos os comentários!
Mas por favor sem baixaria que disso já basta a autora.
Comentários com discurso de ódio serão ignorados. :*
Obrigada!

Página Anterior Próxima Página Início
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...