11 novembro 2014

Resenha: Eleanor & Park


Sabe aquele livro que te fisga pela capa? Pois é. Não foi meu caso. Mas poderia ter sido, se antes mesmo de eu ver essa capa linda pela primeira vez eu já não tivesse recebido tantos comentários com "caraca, você parece muito com a Eleanor de Eleanor & Park".
Fui pesquisar na primeira vez e, gente, que alegria que bateu <3 claro que como ainda não foi pras telonas tudo que achei foram fanarts, mas me identifiquei TANTO. E nem só pela gordicinha ou sardas ou cabelo ruivo, mas pelas citações do livro que achei junto dos fanarts. Não sou muito fã de romances, a não ser que tenham uma intensidade épica e sejam bem escritos. E Rainbow Rowell fez isso com maestria.

Não é nenhuma crônica fantástica de ficção. Não se trata de um romance secular, nem tem mortes e mistérios ou vilões e dragões. É melhor ainda. É um romance intenso inserido no cotidiano, que poderia ser o meu, ou o seu, com todo o sentimento e emoção envolvidos que só estando no meio pra sentir. Isso é, até ler Eleanor & Park. Que nos dá tudo isso na pele sem sequer termos de passar por isso de verdade. E foi isso que o livro me passou. A sensação de me apaixonar de novo pela primeira vez, sem sequer precisar haver alguém pra ser o alvo desse sentimento "novo". Porque não era preciso. Eleanor e Park já faziam isso por mim.

A forma como o livro vai levando o dia-a-dia foi o que eu mais gostei. Nada é apressado, mas também não tem nenhum tipo de enrolação, o ritmo foi perfeitinho desde "a novata esquisita que sentou do meu lado no ônibus" pra "eu não gosto de você, eu preciso de você", equilibrando ainda ambos os pontos de vista sem perder o fio da meada.

Os personagens tinham um histórico, nenhum estava ali por acaso, e no final acabaram por mostrar profundidade. Não haviam vilões de verdade nos vilões óbvios como o início chegou a sugerir, com os clássicos valentões da escola. Apenas adolescentes cheios de hormônios mas acima de tudo, mostrando serem humanos (da maneira deles, né) lá no final, quando ajudaram a esconder a Eleanor. O verdadeiro vilão, que foi o padastro da persoagem, esse sim teve o perfil pra angustiar de verdade quem o lesse. Especialmente quem tem problemas familiares parecidos com os dela. (Eu colocaria um TW no livro inclusive. Mexeu um pouco comigo de uma maneira desagradável.) Eu também me revoltei mas, infelizmente, uma família numa situação abusiva não se resolve na bronca. Se eu soubesse como se resolvesse, juro que diria. Felizmente o Park tava ali pra mantê-la inteira, por mais que ele não tenha conseguido protegê-la até o fim, mas gente; são adolescentes. E é verdade, na visão de um adolescente que ainda não passou por tanta coisa na vida (porque ainda não deu tempo disso), tem muita coisa pequena que acaba se tornando algo grande, e eu acho insensível diminuir isso. Até porque todos já estivemos ali.

É aí que entra a nuance obsessiva do relacionamento deles. Algo novo tende a nos deixar obcecados, é verdade, mas quando o objeto da obsessão é outra pessoa também obcecada, o negócio pega fogo. Toma uma forma diferente, maior, que importa. Um tipo de luz no fim do túnel. Vi muita gente criticar a dependência dos dois um no outro, mas cara. É preciso se pôr no lugar pra poder sequer começar a julgar.

Uma coisa que me irritou (e não foi no livro, mas nos leitores) foram os justiceiros. Não dá pra dizer "No lugar da Eleanor, eu já tinha ido na polícia denunciar o padastro, já tinha tirado a mãe dali, blablabla ela foi muito lerda nesse aspecto, nem parece que se importa de verdade" não dá, apenas não dá. Poderíamos encarar a situação de forma diferente sim, afinal cada cabeça uma sentença, mas cara, não é assim tão simples. Abuso doméstico é real, ta aí, rolando por debaixo dos panos de várias casas, e nós não fazemos ideia do quanto. Não tem como a gente saber. Logo é muito difícil calçar os sapatos dessas pessoas por inteiro, pois não servem em você. Por não serem seus. Então nada de bancar o super-homem com os problemas alheios, ok? E sobre dizer que ela não parecia se importar de verdade com a situação da mãe. How dare you.

Foi mostrado também como o machismo é destrutivo. Como quase destruiu a Eleanor, literalmente, quando o padastro cego e alienado pela visão de que a afilhada não passava de um pedaço de carne inútil (é só lembrar dos recadinhos carinhosos que ele deixava pra ela) chegou a expulsá-la de casa, da proteção da própria mãe, que ficou a mercê da loucura daquele homem na sua ausência. E ainda tem gente que prega que eu sou maluca por abominar esse pensamento. Vai entender onde foi parar a empatia e humanidade dessas pessoas.

Apesar do final ter me frustrado MUITO, ainda tenho esperança de que as três palavras finais da Eleanor eram "I'm Han Solo", significando na minha cabecinha esperançosa que eles iriam voltar a se encontrar. Dá uma trela, Rainbow, por favorzinho.

E por fim, quero descrever o livro da mesma forma que Park descreveu a Eleanor, porque acho que serviu perfeitamente;

Era como uma obra de arte, e arte não deve ter boa aparência, mas sim fazer a gente sentir alguma coisa.

Nunca escrevi uma resenha por livre e espontânea vontade na vida, nem sei se fiz certo, só sei que me apaixonei por esse livro, e quis fazer, e fiz. Beijas!

17 comentários:

  1. Caramba, isso pegou no core.
    Fazia tempo que eu não lia um texto sobre livros assim, profundo. O livro tá na minha lista sendo deixado pra depois, mas você me fez precisar dele, e tenho certeza que se eu já tivesse lido, ia querer fazer outra vez.
    Sempre que sentir vontade de escrever resenhas, por favor, escreva!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba Joyce, morri com o seu comentário ❤️ achei que tinha sido desajeitada pra escrever porque não faço muito isso, mas você me deu vontade de escrever mais! Haha. Leia sim, é uma história maravilhosa, você também vai se apaixonar. ❤️

      Excluir
  2. Ai Su... sabe aquela sensação de "CARA... ONDE EU ME ENTERRO?"? Pois é... fiquei assim quando terminei de ler E&P. Era uma hora da manhã e eu sozinha no quarto chorando horrores e de luto. Chorei pq sei que é uma sitação real, apesar de ser ficção. Chorei pq sei o quando o primeiro amor é complicado. Eu ficava pensando... poxa, por que o Park não foi na casa dos tios de Eleanor para ver ela depois? E por que só depois de UM ANO ela lhe manda uma carta (que na verdade era um postal, mas que continham aquelas 3 palavrinhas que ela NUNCA teve a coragem de dizer)? Chorei porque simplesmente tinha que ser assim. Porque perderia todo o sentido se fosse diferente. Era para ser assim. Eleanor era assim e ninguém iria muda-la. Assim como Park. Assim com as situações familiares influenciaram no relacionamento dos dois. Como o machismo é a coisa mais nojenta e repulsiva do mundo. Chorei porque era a realidade. E Eleanor & Park me deu um tapa na cara sem igual, e me pegou de jeito no coração. <3
    Adorei sua resenha Su! *----*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você falou tuuuuuuuudo Aninha! <3 me senti igualzinho no final, fiquei triste, com raiva, frustrada, mas ao mesmo tempo 'satisfeita' porque de fato, não podia ter acabado de outro jeito, que daí não seria perfeito.
      Obrigada sua linda, sempre fico feliz quando você passa aqui <3

      Excluir
  3. Esse é um dos meus livros favoritos. Para sua primeira resenha ta de parabéns, você conseguiu transmitir em suas palavras a essência do livro e deixando quem lê com vontade de conhecer a história, no meu caso de ler o livro. A Rainbow escreve muito bem super aconselho os outros livros delas. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, muito obrigada! Fiquei muito feliz de saber que agradou, me senti um pouco perdida porque não escrevo muito apesar de gostar haha </3 beijas!
      ps: to doida pra ler fangirl!

      Excluir
  4. Olha só, isso não é justo!!! Eu já estava louca pra ler esse livro e você me vem com uma resenha dessa, dona Suelen???? Meu coração não aguenta!
    Eu sou apaixonada por romances e antes de ler sinopses já me empolgo! Mas de todas as resenhas que eu li, essa foi (com toda a certeza) a que mais mexeu comigo. Foi exatamente aquela prévia que faz nosso coração acelerar e causa um anseio ainda maior pra ter o livro.
    Você arrasa! <3
    http://amorecando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahah poxa muitoooo obrigada ainda bem que você curtiu <333 pois trate de ler logo, vai se apaixonar também
      muito muito muito obrigada visse, comentários assim me dão mais vontade de escrever *-* <3

      Excluir
  5. Amei sua resenha, Su! Eleanor & Park se tornou um de meus livros preferidos depois que li. Você parece mesmo a Eleanor, acho que eu fui uma das pessoas que te disse isso também hehe Seu blog está muito lindo, o layout novo arrasou!

    Blog: Café Com Babis (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que foi sim Babi! <3333 muito obrigada! E obrigada também por indiretamente me fazer conhecer o livro, kkkkk *-*

      Excluir
  6. Amei a sua resenha, o livro foi exatamente assim para mim <3 e eu me irrito com esses "justiceiros" também, é muito fácil falar quando não se está naquela situação. Terminei de ler um livro esses tempos que fala de algo assim também, de uma mulher que pensava que era só denunciar em relação a abusos domésticos até que ela virou a vítima, é um livro de suspense que é muito bom <3 acho que todos com essa síndrome de "justiceiro" deveria ler IAUHSIUH XD o nome do livro é No Escuro da Elizabeth Haynes, caso tenha interesse o/
    Mas voltando ao foco u.u eu me senti me apaixonando pela primeira vez logo que li esse livro também e fiquei frustrada com o final, mesmo compreendendo os motivos para ele heh e também te achei parecida com a Eleanor 8D
    acho que a única coisa que deveria avisar no começo do post é que contém spoilers, tem gente que tem um ataque por causa disso XD (conheço algumas...)

    Loud Like Moi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né cara? Palpitar todo mundo quer mas fundamento ninguém precisa; Fiquei muito interessada nesse que você falou, acho que vou atrás *-* obrigada moça!
      E nossa vdd HAUHAU vou botar um aviso de spoiler, nem me toquei disso!
      Teu cabelo é lindo e tuas ilustras também, beijas <3

      Excluir
  7. Amei demais a sua resenha, você é muito boa nisso! Espero que leia vários livros e faça outras resenhas aqui pra gente <3333
    Tenho esse livro e ainda não consegui ler =-( Esse TCC tem me deixado louca!!!!!
    Assim que essa fase passar vou correndo mergulhar nessa história que parece ser tão emocionante.
    As fotos ficaram lindas como sempre, AMEI SUA RUIVA LINDAAA <3

    Beijos
    www.jaquelinelima.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se meu tempo permitir eu vou ler mais sim! ;O; amo amo amo ler, mas nossa, leio tão pouco que dá vergonha. snif
      Obrigada pela visita sua linda lindosa <3 <3 <3 <3

      Excluir
  8. Boa tarde Suelen...
    Estou apaixonada pelo seu blog, achei tudo lindo... Parabéns!!!
    Sobre o livro, adorei tanto a sua resenha, que fiquei apaixonada pelo livro sem ao menos tê-lo lido, mas quero isso...
    Parabéns novamente...
    beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  9. Oi su, capas lindas nao podem nos convencer, adoooro romances, sou viciada s2
    Suu me visite tbm:
    Gilvaniaevans.com

    ResponderExcluir
  10. Eu amei Eleanor & Park, mas o meu livro favorito dessa autora sempre será FanGirl. A única coisa que eu não gostei desse livro foi o final. Eu entendi o que ela queria fazer, mas me deixou tão magoada ):

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir

Respondo todos os comentários!
Mas por favor sem baixaria que disso já basta a autora.
Comentários com discurso de ódio serão ignorados. :*
Obrigada!

Página Anterior Próxima Página Início
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...